Voar com o pet pode ser uma experiência muito estressante para o seu cachorro ou o seu gato, pois é um ambiente totalmente diferente ao qual está acostumado, certo? Mas o pet deve viajar na cabine ou na carga?

Ele pode viajar no colo do dono? Qual é o tamanho permitido? Essas são algumas dúvidas

que aparecem para quem viaja pela primeira vez com o animal de estimação.

Antes de marcar uma viagem de avião com pet, é sempre bom consultar o seu veterinário.

Dessa forma, você verifica todas as condições de saúde. E, também, cumpre as exigências das companhias aéreas para que o pet viaje com segurança.

Em todo caso, é possível embarcar com o animal de estimação na cabine, mas há alguns requisitos para isso.

Acompanhe a leitura para entender como é o procedimento!

Entenda se o pet deve viajar na cabine ou na carga

Os animais de estimação podem viajar tanto na cabine quanto na carga. Para viajar na cabine, eles precisam ser de pequeno porte, com peso máximo de 10 kg. Se ultrapassar esse peso ou as dimensões permitidas, ele precisa viajar na carga viva.

Confira abaixo quando o pet deve viajar na cabine ou na carga.

Voo com o pet na cabine

É normal que, ao programar uma viagem de avião, você queira levar o pet perto de você, não é mesmo? Afinal, ele se sentirá mais tranquilo se não estiver sozinho.

Seria bom até se ele pudesse viajar no seu colo e não tivesse que voar dentro de uma caixa, mas não é assim que funciona.

Diversas companhias aéreas permitem que os pets viajem com os donos na cabine do avião. Para isso, é necessário que tenham pelo menos 4 meses de vida e sejam de pequeno porte.

Eles precisam ser transportados em um kennel que esteja limpo e disposto sob o banco do passageiro.

Em geral, a documentação é parecida para diferentes empresas aéreas. No entanto, pode haver especificações diferentes para o tamanho da caixa e o peso.

Além disso, como regra permite-se levar somente um pet na cabine junto ao dono. Na aeronave, pode haver no máximo 3 animais de estimação em cada voo.

Uma informação importante para quem deseja saber se o pet deve viajar na cabine ou na carga é a seguinte.

Para que o pet embarque na cabine, o peso varia segundo cada empresa aérea, podendo ser de 5 a 10 kg, incluindo o peso da caixa.

Além disso, quem tem menos de 16 anos não pode viajar com o pet se não houver um adulto responsável.

Leia também: Como transportar animais em mudanças internacionais

Qual é a caixa apropriada para que o pet viaje na cabine da aeronave?

Será que posso comprar qualquer caixa de transporte para levar o animal de estimação?

Há diferentes tipos de caixas para levar o pet na aeronave. Porém, não são todas que seguem as regras da International Air Transport Association (IATA) e podem ser barradas.

Quanto à caixa rígida ou flexível, isso fica a critério do dono, que precisa avaliar a melhor adaptação do pet.

Se ele já estiver acostumado com a caixa rígida, pode ser a melhor escolha para o voo. Por outro lado, a caixa flexível costuma ser mais leve e isso pode influenciar no peso permitido para levar o animal de estimação.

Por exemplo, se o peso da caixa rígida e do pet ultrapassarem 10 kg, veja qual é o peso com uma bolsa flexível para saber se ele poderá viajar na cabine.

Como padrão, as caixas rígidas têm 32 cm de largura, 43 cm de profundidade e 22 cm de altura. Mas as exigências da empresa aérea podem variar e de acordo com o tamanho do pet.

A bolsa maleável, por sua vez, tem 32 cm de largura, 5 cm de profundidade  e 25 cm de altura.

O pet pode sair da caixa de transporte?

Para quem tem dúvidas se o pet deve viajar na cabine ou na carga, essa também é uma dúvida frequente.

A resposta é não, isso não é permitido. Enquanto os cães-guia podem viajar fora da caixa, o mesmo não é possível para outros pets.

O que fazer se o pet urinar ou defecar no voo?

Para que seu pet não fique incomodado na viagem caso isso aconteça, é bom que você leve lenços e saquinhos higiênicos para limpar o kennel.

Além disso, evite dar muita comida ao animal de estimação antes de embarcar e controle a água também.

Você pode colocar um tapete higiênico no kennel.

Leia também: Quais tipos de animais podem viajar de avião

A caixa é levada em que local na aeronave?

O local correto para embarcar com o pet na cabine é sob o assento da poltrona, sendo que a caixa pode ficar à sua frente. Ou seja, você não poderá carregar a caixa no colo.

Os pets são transportados nos assentos das janelas. Vale mencionar também que a maioria das empresas aéreas permitem que o animal de estimação viaje apenas na classe econômica.

O que fazer se o pet latir na aeronave?

Além de saber se o pet deve viajar na cabine ou na carga, essa é uma questão importante também.

Se o pet começar a latir muito, isso pode incomodar as pessoas que estão no voo, não é mesmo?

Então, para evitar isso, você pode acostumar o animal de estimação na caixa meses antes da viagem.

Basta fazer alguns passeios com ele dentro do kennel para que ele entenda que não existe perigo.

Porém, caso ele comece a latir no voo, é só dar algum brinquedo ou petisco para ver se ele se acalmar.

Posso dar remédios para acalmar o pet?

Na viagem de avião, você não pode dar remédios para o pet, pois isso pode trazer efeitos negativos para sua saúde.

O motivo é que pode-se alterar o batimento cardíaco do animal, bem como pode haver problemas circulatórios.

Dessa forma, não dê tranquilizantes para o pet no voo, mesmo que ele comece a latir com insistência.

Então, sabemos que o pet deve viajar na cabine ou na carga. Vamos ver agora como é o procedimento quando ele vai na carga viva.

Leia também: Quais as melhores formas de viajar com meu pet?

Voo com o pet na carga

Quando o pet viaja na carga do avião, ou seja, no porão, ele fica lá sozinho e não tem vinculação com o bilhete aéreo do dono. Então, o tutor pode ou não estar no mesmo voo.

Esse serviço pode ser feito por um despachante aduaneiro. Além disso, a caixa precisa estar de acordo com as normas da IATA. Ou seja, precisa ser rígida, estar no tamanho exigido e ter boa ventilação.

Quando o pet ultrapassa o peso permitido para o voo na cabine, que é de até 10 kg, ele precisa viajar na carga viva.

Como é o deslocamento do pet na carga viva?

Como dito, nesse caso o transporte é feito no porão da aeronave. Nesse espaço, a temperatura varia entre 10ºC e 21ºC. Se você preferir, pode deixar uma manta na caixa do pet caso a temperatura esteja baixa.

O local possui iluminação, mas no voo a luz será apagada e o pet poderá dormir na viagem.

Na carga viva o pet apenas entra na aeronave na hora do embarque. Uma equipe da empresa aérea ficará responsável por alojá-lo no porão.

Existe o risco de o pet morrer no porão?

O pet deve viajar na cabine ou na carga, mas existe algum risco para a vida do animal ao viajar na carga viva?

Não existem grandes riscos de o pet morrer no porão do avião. Pode ser que o animal de estimação fique estressado, mas as condições de voo no local são propícias para que pet viaje sem que tenha problemas de saúde.

Pets braquicefálicos podem viajar na carga viva?

Os pets braquicefálicos são os que têm focinho curto. Em geral, por causa do formato de seu crânio, eles não podem ir no porão, pois podem ter problemas respiratórios. Essa medida pode variar de uma companhia aérea para outra.

Leia também: 5 destinos para viajar com seu cachorro no Brasil

Pet idoso pode viajar no porão?

Não é recomendado que o pet idoso viaje na carga viva. Como há comorbidades, isso pode trazer mal estar ao animal de estimação ou algum problema de saúde.

Pets com problemas de saúde podem embarcar na carga viva?

Se o pet já tiver algum histórico de problemas de saúde, como renal, cardíaco ou outros, o embarque precisa ter o aval de um veterinário, caso o animal de estimação tome remédios controlados.

Pet gestante pode viajar no porão?

Pets gestantes não podem embarcar no porão, pois isso pode causar estresse e trazer riscos aos filhotes.

Agora você já sabe quando o pet deve viajar na cabine ou na carga. Já está preparado para sua próxima viagem com o pet?

Se você teve problemas com companhias aéreas nos últimos 5 anos, entre em contato com a Liberfly!