Você vai se mudar para o exterior e não sabe como levar o pet no avião? Então, neste post vamos explicar como transportar animais em mudanças internacionais.

Muitos donos de animais de estimação preferem deixar o pet em casa quando fazem viagens aéreas. No entanto, se você estiver se mudando para outro país precisará levar o pet com você, certo?

Afinal, os donos não se desapegam tão facilmente dos animais de estimação e eles são parte da família.

Mas quais são as regras para o pet embarcar? Ele pode viajar com você na aeronave? Quais são os documentos necessários?

São muitas dúvidas que surgem para quem vai levar o pet para o novo país. Então, continue lendo para saber como proceder!

Entenda como transportar animais em mudanças internacionais

Cada empresa aérea possui suas próprias regras para viagens com pets. Por exemplo, existem pesos específicos para que o animal de estimação viaje com você na cabine.

Em geral, o peso permitido é de até 10 quilos e o pet precisa ter no mínimo 4 meses de vida. Porém, essas exigências podem variar dependendo da companhia aérea.

Por outro lado, os cães de grande porte precisam ser transportados no porão da aeronave, a menos que sejam cães-guias.

Então, o ideal é que você se informe antes de comprar os bilhetes aéreos sobre as exigências quanto à raça do animal, o tamanho, o peso e a idade.

Se o seu cão ou gato tiver alguma doença, é provável que seja impedido de viajar. Por exemplo, se ele for braquicefálico, pode sentir falta de ar no avião.

Por isso, é importante que você saiba as regras de como transportar animais em mudanças internacionais.

Leia também: Quais tipos de animais podem viajar de avião?

Transporte de pets na cabine

Vale lembrar que somente cães e gatos de pequeno porte podem viajar na cabine, dentro da caixa de transporte. No entanto, há companhias que não permitem que o animal de estimação vá na cabine.

Nesses casos, eles precisam ser transportados como “bagagem especial”. Em outras palavras, o pet vai no porão da aeronave, em local ventilado e aquecido.

A IATA recomenda que a viagem seja feita dessa forma. O objetivo é permitir uma viagem mais silenciosa. E, além disso, os pets poderão dormir no escuro se estiverem no porão.

Contudo, quando a empresa aérea permite que os pets viagem na cabine, muitos donos preferem levá-los consigo para que o animal de estimação não fique sozinho no porão.

Caixa para transportar o pet

Vamos entender agora como transportar animais em mudanças internacionais, utilizando a caixa ou a bolsa de transporte para pets.

Primeiro, você precisa verificar na empresa aérea qual é o tamanho permitido da bolsa de transporte. Algumas companhias só permitem tamanhos muito pequenos, enquanto outras são mais flexíveis.

Existem bolsas de transporte que possuem tamanhos adaptáveis para que você as coloque abaixo do assento do avião.

O IATA regula normas de transporte aéreo, inclusive quanto ao tamanho da caixa. Além disso, quando você for comprar a caixa para levar o pet no avião, pode ser que ela contenha a informação de que segue as especificações da IATA.

Um dado importante é que as caixas não podem possuir rodinhas. Além disso, é preciso que o pet consiga ficar em pé dentro da caixa. Ou seja, sem precisar abaixar o pescoço.

E, também, ele precisa conseguir se movimentar lá dentro, dando uma volta inteira em volta do próprio corpo.

De acordo com a IATA, as medidas para transporte de pets são as seguintes:

l X: O comprimento é verificado da ponta do nariz até a cauda.

l Y: A altura tem como parâmetro a medida do chão até o cotovelo.

l Z: A largura do pet é medida de ombro a ombro.

l W: A altura do pet em pé é medida da ponta da orelha até o chão.

Quando você fizer essas medidas, já pode saber o tamanho da caixa ao fazer essa conta:

X + ½ Y = Comprimento X x 2 + Largura W = Altura

Agora que você já sabe como transportar animais em mudanças internacionais, veja como é a viagem para a Europa com o pet.

Leia também: Quais as melhores formas de viajar com meu pet?

Voos com cachorro ou gato para a Europa

Existem diversos requisitos da Comissão Europeia para que o pet embarque no avião do Brasil para a Europa. Confira abaixo quais são eles:

-> O animal precisa de um microchip.

-> Vacina para raiva aplicada há 12 semanas.

-> Teste de anticorpos 30 dias depois da vacinação e com antecedência de 3 meses da viagem.

-> Prevenção contra o Echinococcus multilocaris.

-> Certificado de Saúde Animal.

-> Declaração sanitária do pet.

Voos com cães e gatos para os EUA

Para viagens aos EUA, o Departamento de Agricultura dos EUA faz a exigência de que o animal esteja com boa saúde.

Além disso, é preciso que o pet tome vacina antirrábica a 4 semanas do voo. O animal de estimação adulto precisa ter também histórico de vacinas regulares com as informações do pet, como endereço, raça, idade, sexo, entre outras.

É preciso fazer a tradução dos documentos para o inglês.

Vale lembrar que cada estado nos EUA pode ter uma regulamentação própria. Por isso, deve-se verificar as regras de cada estado.

Vimos então como transportar animais em mudanças internacionais. Mas quais são os documentos necessários? Confira a seguir!

Documentos para transportar animais em mudanças internacionais

Antes de tudo, é preciso que você se informe sobre a burocracia de cada país antes de se mudar com o pet. O motivo é que as regras mudam e variam de acordo com o destino.

Para mudar de país com o pet, organize-se com antecedência para não se deparar com impedimentos na sua viagem. Por exemplo, para evitar que seus pertences sejam bloqueados antes de embarcar ou mesmo ao chegar ao destino.

Essa antecedência deve ser de uns 4 ou 5 meses, para você ter tempo suficiente para organizar tudo.

Para levar animais de estimação, a atenção deve ser ainda maior quanto aos procedimentos e à documentação.

Se você se esquecer de algum documento, pode haver recusa para que o animal de estimação embarque.

Passaporte para os pets

Para viajar com o pet para outro país, é preciso ter o passaporte próprio para cães e gatos.

Para isso, confira no país de destino se o passaporte brasileiro é aceito. Este passaporte é emitido pela Vigilância Agropecuária Internacional.

Certificado Veterinário Internacional

Para saber como transportar animais em mudanças internacionais, é essencial que você tenha esse certificado.

Ou seja, para voar com o pet para o exterior, é preciso ter o Certificado Veterinário Internacional. Você precisa fazer a solicitação no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Trata-se de um certificado de exame clínico. Ela prevê que o animal está com boa saúde e precisa ser emitido com antecedência de 10 dias do embarque. Ou, ainda, de acordo com as normas do país para o qual você vai viajar.

Para conseguir a emissão do certificado, será necessário ter a vacinação antirrábica em dia. E, também, as demais vacinas exigidas no país de destino.

Outro documento necessário é o atestado de saúde do animal de estimação. Ele precisa ser original, além de estar assinado, com carimbo e com a respectiva data registrada pelo veterinário.

Verificar restrições do país de destino

Antes de preparar as malas para viajar com o pet, verifique se o país de destino aceita receber animais de estimação.

Em alguns países, certos tipos de raça não podem entrar. Além disso, é essencial que você confira com a empresa aérea se ela faz transporte de pets.

Por exemplo, costuma haver regras restritivas para os pets de focinho curto, devido a dificuldade respiratória que pode haver no avião.

Leia também: 5 destinos para viajar com seu cachorro no Brasil

Atente-se às vacinas

Quem deseja saber como transportar animais em mudanças internacionais precisa se atentar às vacinas do pet.

Para entrar na aeronave, o pet vai precisar de diversas vacinas. Algumas delas são: contra a raiva, por exemplo, e a antirrábica.

Nessa última, ela deve ser aplicada com 30 dias de antecedência. Caso a vacina perca a validade antes da viagem, é preciso vacinar de novo.

Microchip

Pode ser que alguns países exijam que o pet tenha um microchip. Isso é necessário, por exemplo, para viajar para países da União Europeia.

Portanto, se for um pré-requisito no seu destino, você precisará entrar em contato com um veterinário para que o microchip seja colocado no animal de estimação.

Outro ponto que vale a pena lembrar é que talvez seja necessário que o pet fique em quarentena antes da viagem.

Então, conseguiu entender como transportar animais em mudanças internacionais?

Se você teve problemas com viagens aéreas nos últimos 5 anos, entre em contato com a Liberfly! Você poderá ser indenizado em até 48 horas.

Compartilhe este post com outras pessoas e siga a Liberfly nas redes sociais!