Se você chegou até aqui é porque está em dúvida se está com restrição no nome, seja para realizar uma compra, fazer um financiamento, entre outros casos.

Por isso, hoje a LiberFly vai te mostrar o passo a passo de como saber se você está com restrição no nome.

Já adiantamos que se você está em dúvida se está com restrição no nome, é porque provavelmente tem uma dívida não paga.

Mesmo assim, é importante fazer essa consulta ainda que não existam dívidas, pois há casos em que o nome é negativado indevidamente.

Além disso, pode acontecer de o nome ficar sujo em mais de um órgão, como Serasa, SPC e SCPC.

No caso do Serasa e do SCPC, a consulta é feita de modo gratuito. Já no SPC é preciso pagar para verificar o nome.

Continue lendo para saber como proceder! Boa leitura.

O que é restrição no nome?

Restrição no nome acontece quando o consumidor contrai uma dívida e não paga. Nesses casos, as empresas podem solicitar aos órgãos de proteção ao crédito que o nome fique com restrição. Isso é feito, por exemplo, no SPC e no Serasa.

Esse caso configura nome negativado, popularmente conhecido como “nome sujo”. Antes de o nome ficar com restrição, o órgão entra em contato com o devedor para quitar a dívida.

Se isso não for feito, o nome pode ficar sujo. Por isso, é relevante se informar sobre como saber se o nome está com restrição.

O nome negativado pode trazer dificuldades para fazer um financiamento, pedir um empréstimo, conseguir crédito, abrir uma conta no banco, entre outras situações.

A falta de pagamento por parte do consumidor e a negativação do nome levam também à diminuição do score, o que também causa impedimentos para realização de determinadas compras

Quaisquer dívidas podem levar o devedor a ter nome sujo, como faturas de cartão de crédito e contas de água, luz ou telefone.

5 motivos comuns para a restrição no nome ou CPF com restrição

Existem vários motivos comuns para restrição no nome acontecer. Confira a seguir quais são as causas mais comuns para esse tipo de situação:

1. Negativação do nome

A negativação é o principal motivo para restrição no nome.

Ela acontece quando uma empresa notifica o Serasa ou outra instituição de crédito sobre um pagamento que não foi realizado.

Isso pode acontecer por diversos motivos, como não pagar uma conta de água, energia elétrica ou telefone, mas também é comum em casos de esquecimento de uma parcela de compras à prestação.

Esse tipo de dívida tem uma consequência muito ruim e diminuem a reputação do devedor perante as instituições financeiras fornecedoras de crédito.

2. Falência ou participação em falência

A falência de uma empresa acontece quando ela não é mais capaz de pagar as próprias dívidas.

Esse processo acontece por meio judicial e a pedido dos credores na maior parte dos casos.

Se você é sócio ou dono de uma empresa falida, isso pode impactar o seu Score no Serasa, pois, estatisticamente, existe a possibilidade dos sócios se endividarem para tentar cumprir com as obrigações financeiras da empresa falida.

3. Emissão de cheques sem fundo

Outro fator comum para restrição no nome é pagar por um bem ou serviço com um cheque sem fundo.

Ao fazer algo como isso, você demonstra para o mercado uma falta de controle da sua situação financeira, afinal, você consumiu algo que não podia pagar.

Seja por falta de planejamento ou porque faltou dinheiro para a compensação do cheque, pagar uma conta com um cheque sem fundo pode prejudicar muito a sua reputação perante o mercado de crédito.

4. Protesto por parte do vendedor

O protesto acontece quando um indivíduo faz uma compra a prazo e não consegue pagar, fazendo com que o vendedor vá ao cartório e proteste contra o nome desse comprador.

Esse tipo de situação também acaba gerando restrição no nome e atrapalha a sua relação com o mercado de crédito.

5. Nome sujo por ação judicial

A ação judicial acontece quando alguém coloca o seu nome na justiça por conta de uma dívida que você tenha com ela.

Esse tipo de situação acontece normalmente quando você deve dinheiro a um conhecido.

Na falta de alternativa, ele acaba acionando a justiça para que seja intimado a pagar, ou seja, obrigado a cumprir a sua obrigação assumida na hora do empréstimo.

Como saber se o nome está com restrição: passo a passo

É possível verificar a situação do nome no site do órgão de proteção ao crédito. Você faz um cadastro, informando alguns dados, e depois o login para fazer a consulta. Essa consulta é gratuita.

Além disso, há a facilidade de poder fazer essa verificação de nome negativado online. O cadastro é bem simples e rápido, sem grandes burocracias.

Confira então como consultar seu nome.

Como saber se o nome está com restrição no Serasa

Então, como saber se o nome está com restrição no Serasa? O Serasa tem um portal no qual você pode verificar se o seu nome possui pendências.

Lá você consegue ter acesso também ao score. O score segue uma pontuação de 1 a 1000. Quanto maior o score, maior a credibilidade no mercado.

Para o score ser alto, é necessário estar com as contas em dia. Se houver dívidas inscritas, isso será o sinal que o consumidor não é um bom pagador.

A consulta do nome negativado é feita ao preencher o formulário para realização do cadastro. Após esse cadastro, você conseguirá ter acesso às informações sobre o seu nome.

É possível fazer esse cadastro com a sua conta do Google ou com outro e-mail que preferir. Após essa etapa, você conseguirá ver um painel com os dados desejados.

Caso seu nome esteja limpo, você saberá disso pela tela. Então, você conseguirá saber se há inadimplência.

Para resolver pendências, caso esteja com dívidas, é possível ver no painel informações de como proceder para solucioná-las.

Como saber se o nome está com restrição no Boa Vista SCPC

Como saber se o nome está com restrição no SCPC? Para consultar sua situação no SCPC, o procedimento é similar ao do Serasa. Você terá que fazer o cadastro, preenchendo seus dados pessoais e o CPF.

Depois dessa etapa, será necessário confirmar o e-mail para conseguir acessar a área do consumidor. Então, será possível saber como está seu nome e também a pontuação score.

Tanto na Serasa quanto na Boa Vista, você pode consultar o nome pelo aplicativo, ao fazer o download no Google Play ou na Apple Store.

Sempre que possível, consulte seu CPF, mesmo que acredite que não tenha nenhuma dívida. Isso porque pode acontecer de seu nome ter sido negativado indevidamente.

Leia também: Dívida paga e o nome permanece nos cadastros negativados, o que fazer?

Por que preciso saber se meu nome está com restrição?

Ter o nome limpo é indispensável para que você consiga administrar sua vida pessoal e profissional sem grandes empecilhos.

Quando o nome está negativado, diversas complicações podem surgir. Veja algumas:

● Problemas para conseguir crédito no banco, financiamento e empréstimos.

● Reprovação em processos seletivos de emprego, em especial no setor bancário e financeiro.

● Não poder comprar em lojas, como as que adotam crediários.

● Não conseguir usar cheques.

● Problemas para conseguir alugar ou vender imóveis.

Portanto, o ideal é estar em dia com as faturas para não ficar com o nome sujo, para não ter surpresas desagradáveis no seu dia a dia financeiro.

Se você está pesquisando sobre como saber se o nome está com restrição, é interessante entender também as consequências de ter o nome sujo.

De todo modo, se você já está com o nome negativado, procure fazer uma negociação para limpar o nome. É a melhor maneira de sair desse inconveniente e ainda ter mais credibilidade diante do credor.

Leia também: O que é CPF irregular

Como saber as dívidas que você tem no SERASA?

Para saber se você tem dívidas e restrições no nome no SERASA é muito simples e pode ser feita de forma completamente gratuita.

A maneira mais fácil de fazer esse tipo de consulta é consultar o seu CPF nos sites de proteção ao crédito.

Você pode acessar o site do SERASA para consultar o seu CPF clicando neste link. Agora confira o passo a passo do que fazer no site:

  1. Clique em “Consultar CPF grátis”;
  2. Caso você ainda não tenha um registro, é necessário fazer o seu cadastro;
  3. Caso você tenha precisado se cadastrar, também será necessário confirmar o seu e-mail. O site do SERASA manda um e-mail para a sua caixa de entrada com um link para a ativação da sua conta;
  4. Em seguida, entre com o seu login e senha;
  5. Uma vez logado, clique em “Meu CPF” e você será direcionado para uma página que mostra se há ou não pendências no seu nome.

Como descobrir as dívidas no SCPC e SPC?

Agora confira como descobrir se há dívidas no SPC e no SCPC:

Como descobrir as dívidas no SPC

Para saber se há dívidas  do SPC a coisa é um pouco mais difícil do que quando você quer consultar o seu nome pelo SERASA.

Isso porque, para fazer a consulta, é necessário assinar um plano, o que não é fácil para quem já está endividado. Nesse caso, o plano mais barato custa R$16,90.

Para fazer a sua consulta pelo SPC, é necessário acessar o site do SPC. Lá, você vai encontrar uma opção chamada “Finanças em Dias”, que vai te direcionar para o site Negociar Dívida Online.

Lá, você deve fazer um cadastro, que pode ser feito através da sua conta no Facebook. Confira o passo a passo:

  1. Clique em “Cadastre-se” ou “Veja se você tem dívidas para negociar”;
  2. Realize o pré-cadastro com o seu e-mail, CPF ou CNPJ, DDD e número de celular;
  3. Uma vez cadastrado, entre na área de login e clique na “Consulta de CPF”.

Como descobrir as dívidas no SCPC

Para consultar se você está com dívidas através do SCPC existem duas formas: presencialmente ou então pela internet.

É possível fazer uma consulta gratuita online através do site do SCPC Boa Vista Serviços. Para fazer a consulta online, siga o seguinte passo a passo:

  1. Acesse o site do SCPC no link acima;
  2. No site, digite seu CPF na caixa de preenchimento e clique na opção “Consultar CPF Grátis”;
  3. Você será direcionado para outra página, onde vão pedir que você preencha o seu nome da mesma forma como está no seu documento;
  4. Em seguida, você deve preencher a sua data de nascimento com dia, mês e ano;
  5. Por fim, termine o seu cadastro. Você deve informar um e-mail para contato e confirmá-lo duas vezes;
  6. O site ainda vai pedir que você cadastre um número de telefone, com o DDD;
  7. Uma vez que você informou o seu telefone, o site vai mandar um SMS para o seu celular e você deve digitar os código enviado;
  8. Em seguida, o site vai fazer algumas perguntas para confirmar a sua identidade. Preste atenção nessa etapa, pois você só pode errar no máximo três vezes;
  9. Por fim, você vai ser levado para uma página de criação de senha. Lembre-se de criar uma senha forte;
  10. Faça o seu login no site. Para isso, você precisa informar o seu CPF e senha;
  11. Uma vez na página inicial, você deve aceitar os termos de uso;
  12. A sua situação perante ao SCPC já vai ser indicada na tela inicial da plataforma. Se você quiser renegociar suas dívidas, o site também oferece diversas opções.

Como limpar o nome no Serasa, SCPC e SPC?

Como limpar o nome: Pagar a dívida

O modo mais simples de limpar o nome nos órgãos de proteção ao crédito é pagando a dívida.

Assim que o pagamento é feito, seu nome é retirado do banco de dados dessas plataformas, no prazo de 5 dias úteis. É o que estabelece o Código de Defesa do Consumidor.

Você pode também fazer um acordo parcelado como uma alternativa para resolver a dívida. Assim, você pode pagar de forma parcelada, com datas estipuladas de vencimento.

Então, quando você pagar a primeira parcela a dívida inscrita se desfaz e seu nome deixa de estar negativado. Então, após fazer a consulta para saber se o nome está com restrição, é possível resolver o problema.

Uma questão importante é que o credor não pode obrigá-lo a pagar o valor total da dívida para retirar seu nome do SPC e do Serasa.

Caso o credor não exclua seu nome como inadimplente se você tiver pagado a dívida ou feito o acordo para parcelá-la, cabe indenização e pedido de danos morais. O motivo é a prevalência indevida de nome negativado.

Como limpar o nome: Após o tempo de 5 anos

Depois de 5 anos, seu nome não pode continuar sujo nos órgãos de proteção ao crédito. Segundo o Novo Código Civil, esse é o período em que o credor pode cobrar a dívida de modo que seu nome fique negativado.

Terminado esse prazo, a dívida prescreve e seu nome deve deixar de constar no SPC ou no Serasa.

Além disso, o Código de Defesa do Consumidor também prevê o tempo de 5 anos para que o consumidor fique negativado nesses órgãos. O tempo é contado a partir do dia em que a dívida deveria ter sido quitada.

É preciso tomar cuidado porque acontece de as empresas renovarem o cadastro no SPC e no Serasa antes do prazo completar 5 anos, sob o argumento de que o devedor teria feito uma negociação que, na verdade, não aconteceu.

Isso é apenas um artifício para prorrogar o tempo em que o nome ficaria negativado para obrigar o devedor a pagar a dívida. Se isso ocorrer ao saber se o nome está com restrição por um tempo prolongado, cabe ação na Justiça.

Trâmite judicial sobre a origem do cadastro da dívida

Quando há discussão por meios judiciais, a pessoa que se sente prejudicada argumentará sobre a origem da dívida, sua existência ou seu valor.

Isso acontece, em geral, quando houve uma inclusão indevida do nome do consumidor nos cadastros de restrição ao crédito.

Pode ser que a dívida já tenha sido quitada ou mesmo que tenha havido um erro da empresa que fez a restrição do nome. Ou seja, o nome pode estar sujo por uma dívida que nunca contraiu, que é o caso de nome negativado indevidamente.

Se isso ocorrer, o consumidor precisa juntar todos os comprovantes de pagamento, caso tenha pago uma dívida, além do boletim de ocorrência registrado na Polícia. Esse BO servirá como prova de uma fraude.

Assim, abre-se um pedido para que o nome seja retirado da base de dados que o identifica como negativado.

Outro ponto relevante ao saber se o nome está com restrição é quando há cláusulas contratuais abusivas. Se houve cobrança excessiva de juros ou de multas, o consumidor pode solicitar que outro cálculo seja feito na Justiça.

Caso a Justiça der o aval, o nome negativado fica suspenso nos órgãos de proteção ao crédito enquanto corre o processo.

Quanto tempo demora para seu nome ficar limpo?

Como vimos, você só pode ficar com restrição no nome por um período máximo de 5 anos. Depois disso, mesmo que o débito não tenha sido pago, o seu nome deve ser retirado dos órgãos de proteção de crédito.

Caso isso não aconteça, você deve acionar a empresa ou então entrar com um processo em que você pode pedir, inclusive, indenização por danos morais.

Posso ter bens penhorados para pagamento da dívida?

Quando há uma dívida, pode acontecer de a empresa buscar solução por meios judiciais e solicitar a penhora de bens.

Recorrer à penhora é algo que acontece em último caso, quando no processo judicial não ocorre o pagamento da dívida. Para haver penhora, é preciso que o juiz autorize a apreensão de bens.

Alguns dos bens que podem ser penhorados, segundo o Código de Processo Civil, são: dinheiro ou aplicação em instituição financeira, títulos, veículos, bens imóveis, bens móveis, entre outros.

No caso de penhora sobre salário ou aposentadoria, não é possível que o valor total seja penhorado, mas apenas uma parte. O imóvel onde a família inadimplente mora também não pode ser penhorado.

Além de saber se o nome está com restrição, é importante assegurar que a dívida é legítima para que isso aconteça e é necessário que haja um processo judicial.

Vale mencionar também que, quando um bem é penhorado, não necessariamente significa que a dívida foi paga. Para isso, é preciso que o valor corresponda a quanto o consumidor deve ao credor.

Portanto, é importante consultar o nome para saber se está com restrição, tentar negociação e resolver as pendências antes que se chegue a esse tipo de constrangimento.

Como renegociar sua dívida e acabar com a restrição no nome

Agora que você já sabe tudo sobre restrição no nome, é hora de aprender como renegociar sua dívida se essa for a opção que você quer escolher. Confira:

Descubra o valor real da sua dívida

Antes de tentar renegociar sua dívida, é importante que você descubra qual o tamanho dela. Isso vai te ajudar na hora de calcular o saldo devedor e na hora de apresentar uma proposta para a quitação.

Para isso, é possível entrar em contato com o credor e solicitar um valor da dívida atualizada, incluindo as taxas de juros e encargos envolvidos.

A dica mais importante nesses casos, entretanto, é procurar por canais oficiais do agente financeiro em que o crédito foi contratado.

Para fazer isso, basta ir até a sua agência bancária e conversar com o seu gerente ou tentar contato através dos canais de atendimento oficiais.

Em alguns casos, é possível fazer a solicitação de renegociação de forma totalmente online e simular novas condições de empréstimo.

Se eduque sobre as condições de negociação

Quando for começar a renegociar suas dívidas, tente saber qual será o desconto sobre a dívida total que está sendo proposta pela instituição financeira.

Caso você opte pelo parcelamento, é muito importante que você fique atento aos juros, pois mesmo que o valor mensal seja menor, você pode acabar tendo de pagar um valor mais caro.

Agora, se você tem condições de pagar a dívida à vista, peça por um desconto maior. Você com certeza vai conseguir fechar um acordo.

Seja resistente e não aceite qualquer proposta

Nas renegociações, o agente financeiro vai apresentar uma proposta inicial. Não se contente com ela. A dica aqui é evitar aceitar propostas que não condizem com a sua situação financeira ou que não condizem com o valor que você está devendo.

Você deve sempre procurar renegociar de uma forma que você seja capaz de cumprir, seja parcelado ou à vista.

Caso ainda tenha dúvidas e os cálculas não estiverem claros, sempre faça questão de questionar e nunca decida por impulso.

Sempre vale a pena confrontar a proposta com a sua planilha de gastos para saber se ela está dentro do seu orçamento.

Por fim, tente oferecer uma contraproposta e tente reduzir ao máximo o valor dos juros das parcelas que você vai pagar daqui pra frente.

É necessário que você entenda que a negociação deve ser vantajosa para os dois lados e a proposta deve sempre estar alinhada com a sua situação financeira.

Transfira sua dívida para outra instituição financeira

Caso sas suas tentativas de renegociação não evoluírem, você tem a opção de transferir a sua dívida para outra instituição financeira com condições menores.

O nome desse tipo de procedimento é portabilidade de crédito e foi criada pelo Banco Central em 2013 com o objetivo de gerar competitividade entre as instituições financeiras e melhorar as propostas de renegociação para os consumidores.

Dessa forma, o consumidor tem mais liberdade para transitar entre os bancos que oferecem vantagens maiores.

Mas o que poucas pessoas sabem é que é possível solicitar a portabilidade de crédito em qualquer momento mediante o cancelamento do contrato e quitação antecipada da dívida no banco original.

Esse processo também é totalmente gratuito e os direitos do consumidor são garantidos na operação.

Contudo, antes de você realizar a operação é necessário que você esteja atendo às condições oferecidas pela instituição financeira que vai assumir as suas dívidas.

Portanto, nunca faça esse procedimento por impulso. Sempre analise as opções em todas as instituições financeiras e suas taxas de juros antes de fechar um negócio.

Tome cuidado para não fazer novas dívidas

Uma vez que você tenha renegociado suas dívidas e esteja fazendo o pagamento, é muito importante que você solicite ao credor a sua carta de quitação.

Depois disso, verifique em quanto tempo a sua situação vai ser regularizada junto ao Serasa e outras entidades de proteção de crédito no caso de restrição no nome.

Além disso, sempre fique atento para evitar armadilhas que possam te levar ao endividamento mais uma vez.

Tenha sua planilha financeira sempre atualiza e sempre busque reduzir os seus custos, seja cortando gastos não essenciais ou cortando os gastos invisíveis.

Por fim, tente criar uma reserva de emergência para sempre ter um valor guardado em casos de imprevistos.

Conclusão

Como você viu, a restrição no nome é um problema muito comum e que pode acontecer com qualquer pessoa.

Esse tipo de situação pode acontecer tanto com pessoas que realmente estão com dívidas em instituições financeiras ou por outros motivos, quanto por erros no banco.

Em todo caso, o mais importante é que você sempre acesse os principais mecanismos de consulta, como o SCPC, o SERASA e o SPC para saber se o seu nome está ou não com restrição.

Caso o seu nome tenha sido negativado indevidamente, por conta de uma conta que você já pagou ou mesmo por um erro do banco, é sempre possível conversar com a LiberFly.

Aqui, somos especialistas no adiantamento de ativos judiciais, ou seja, compramos o seu caso e assumimos os riscos. Basta que você conte para gente o que aconteceu em detalhes.

Por fim, se você está com restrição no nome há mais de 5 anos e o seu nome ainda consta nos bancos de dados de instituições de proteção ao crédito, saiba que você também tem direito à indenização e a LiberFly também pode te ajudar nessas situações.

Conheça mais sobre o serviços da LiberFly! Muito obrigado pela leitura!