Quem tem animal de estimação considera ele como parte da família. Pensar em viajar e não levar o pet aperta o coração de qualquer dono. Viajar de avião com animal parece algo inusitado para algumas pessoas. Mas para quem não consegue nem cogitar a ideia de viajar sem os bichinhos ou passar muito tempo longe, embarcar com eles pode ser a melhor opção.

Falar sobre viajar de avião com animal de estimação é um pouco complexo. Entretanto, as empresas aéreas estão percebendo como os bichinhos fazem parte da família e que os clientes querem que eles sejam vistos como tal. O pet, portanto, deve ser tratado como um passageiro, e não como carga ou acessório.

Os animais já são tratados como passageiros, e não como carga

Voar com animal de estimação não é tarefa simples. Mas atualmente é plenamente viável. Requer um pouco de planejamento, adaptação do animal e o cumprimento de algumas exigências das companhias aéreas, além do pagamento de taxas. As condições variam muito de companhia para companhia, de país para país e de voo para voo.

Por isso, para que tudo corra dentro do planejado, seja para viagens dentro ou fora do Brasil, a principal sugestão é: organize-se com antecedência. Confira dicas e orientações importantes que listamos, para que o transporte aconteça da forma mais tranquila possível, tanto para você, como para o seu melhor amigo.

Regras para viajar com seu pet

Informe-se das regras de transporte de animais da companhia aérea antes de comprar a passagem. Algumas empresas não permitem o transporte de animais na cabine e tem restrições para o transporte no porão. Verifique a documentação de vacinação do seu animal. Procure a bolsa ou caixa de transporte mais adequada em petshops ou lojas especializadas.

Seja indenizado clicando aqui

Viajar de avião com animal é permitido?

Nas principais companhias aéreas brasileiras, é permitido viajar de avião com cachorro ou gato. Mas não existe uma legislação específica adotada por todas as companhias. Sendo assim, cada uma possui suas próprias regras.

Por isso, antes de começar a planejar a viagem, é preciso se informar sobre as regras de cada companhia. Assim, você compra sua passagem com aquela cuja política de transporte de animais pareça mais agradável para você e o seu bichinho.

Como solicitar o serviço para viajar com o animal?

Para solicitar o serviço e viajar com o seu amiguinho, será necessário pagar uma taxa, que tem diferentes preços em cada companhia aérea. Ela varia de acordo com o peso do seu bichinho. Para incluir o animal no voo, entre em contato com a companhia aérea.

Assim, será verificado se a quantidade de animais no voo ainda não foi excedida. Caso ainda tenha espaço para o seu bichinho, serão solicitados alguns documentos como atestado de saúde e carteira de vacinação do cachorro ou gato. Para viagens internacionais, alguns outros documentos podem ser exigidos.

O animal pode viajar sozinho de avião?

Depende da companhia aérea. A Azul, por exemplo, não leva o animal sem o dono. Já a Gol e a Latam fazem o serviço, mas é preciso procurar diretamente a companhia para saber quais são as instruções para que seu amigão possa viajar sozinho de avião.

Dependendo da companhia aérea, o animal pode viajar sozinho

Quanto custa uma passagem de avião para animal?

Apesar de valer muito a pena, viajar com seu pet não é das coisas mais baratas. Em alguns casos, fica até mais cara que a passagem do dono.

Cada companhia tem uma taxa com seu próprio valor, mas é de se esperar que uma viagem de ida e volta fique em torno de 400 reais. Os valores exatos vão depender de diversos fatores, como tamanho do animal, disponibilidade no voo, o peso e até a personalidade do bichinho.

Saiba como escolher a mala ideal para a viagem

Quando o animal é transportado dentro da cabine ou no compartimento de carga?

Se você for viajar de avião com o animal pela Azul, Latam ou Gol, vai ficar feliz em saber que é possível levar o seu bichinho na cabine do avião. Desde que ele se enquadre nas regras de cada companhia para o transporte na cabine. Algumas dessas companhias, como a Azul, não fazem o transporte dos bichinhos no compartimento de carga, só dentro da cabine.

Regras de transporte das principais companhias aéreas

As companhias aéreas exigem documentos como o Certificado Veterinário, Carteira de Vacinação e comprovação de algumas vacinas do seu bichinho.

Consulte um veterinário para se certificar de que seu pet está saudável para viajar

LATAM Airlines Brasil

O transporte de animais na cabine é exclusivo para a classe Econômica e é permitido viajar com 1 cachorro ou 1 gato. Em caso de quantidades maiores de animais, o transporte só será realizado no compartimento de carga do avião. Outras espécies de animais deverão ser transportadas apenas pela LATAM Cargo.

A idade mínima do animal para viagem é de 8 semanas e, em caso de viagens para os EUA, 4 meses. Nos casos de cães-guia ou animais de assistência emocional, a viagem na cabine do avião não possui qualquer custo, mas é preciso apresentar documentação médica.

O peso total para o transporte de animais em voos, somando a caixa de transporte, não deve passar de 7Kg.

As medidas máximas da caixinha são 36cm de comprimento, 33cm de largura e 19cm de altura para caixas rígidas e 36cm de comprimento, 33cm de largura e 23cm de altura para caixas tipo sacola. As caixas devem ser ventiladas e com piso absorvente.

Caixa de transporte do tipo "sacola"

O custo para embarque do pet na cabine é de R$200 em voos nacionais e US$250 em voos internacionais – por trecho. O prazo para solicitar o serviço é de, no mínimo, 24h antes do embarque. Clique para saber mais detalhes!

GOL Linhas Aéreas

Fique atento! No transporte de animais de estimação na cabine da GOL, são permitidos, em todos os voos domésticos e internacionais, cães e gatos com peso máximo de 10 kg, incluindo a caixa de transporte (do tipo kennel). No compartimento de carga, são permitidos animais com peso entre 10 kg e 30 kg.

As dimensões da caixa de transporte para embarque na cabine não devem ultrapassar altura de 82cm, largura de 114cm e comprimento de 142 cm.

O custo para embarque do pet na cabine é de R$250 em voos nacionais e R$600 em voos internacionais – por trecho. A solicitação do serviço deve ser feita com antecedência, pois normalmente há limites de pets por voo. Saiba mais!

AZUL Linhas Aéreas

Na Azul, é permitido embarque na cabine de um pet por cliente, sendo no máximo três pets por voo. A idade mínima é de quatro meses.

O peso total do animal mais a caixinha de transporte deve ser de, no máximo, 5 kg. São aceitos dois tipos de caixa: a rígida ou a flexível, tipo sacola.

As dimensões máximas devem ser de 43 cm comprimento, 31,5 cm de largura e 20 cm de altura.

O custo do serviço é de R$ 250 – por trecho. A Azul não faz transporte internacional de pets e não transporta animais no compartimento de carga. Clique aqui para ver mais detalhes.

Documentação necessária

Quando se trata de viajar com animal de estimação, a documentação, exames e vacinas não devem ser negligenciados. Listamos os documentos necessários para realizar a viagem com sucesso, que inclui até passaporte.

Passaporte para trânsito de cães e gatos

Viagens nacionais

O Certificado Veterinário é um documento que deve ser apresentado para atestar a saúde do seu animalzinho. Ele é emitido pelo seu veterinário e tem validade de 10 dias – fique atento ao prazo para o embarque.

Além disso, no transporte de animais de estimação em voos dentro do Brasil, será necessário apresentar também a Carteira de Vacinação do seu bichinho.

Nesse caso, antecedência, mais uma vez, é a palavra que vai garantir o sucesso do seu embarque. O certificado de vacinação antirrábica, por exemplo, é exigido para animais a partir de 3 meses de idade e deve ser aplicada de 30 dias a 1 ano antes da data da viagem.

Saiba como levar remédios em sua viagem internacional

Viagens internacionais

Assim como nós precisamos de alguns documentos como o Passaporte e o Certificado Internacional de Vacinação (em alguns casos) para viagens internacionais, a documentação necessária para o transporte de animais de estimação em voos varia de acordo com o seu destino. Fique atento à documentação exigida.

Certificado Zoossanitário Internacional (CZI)

É um documento emitido pelo serviço sanitário oficial do país de origem. Ele atesta a procedência do animal e serve para garantir a validação das condições sanitárias exigidas para o trânsito internacional de animais. A validade do CZI varia de acordo com as regras de cada país.

O CZI é obtido nas unidades do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, localizados nos aeroportos e nas Superintendências Federais de Agricultura de cada estado.

Atestado de saúde e Carteira de vacinação

O atestado de saúde é emitido pelo veterinário e tem validade de 10 dias desde a emissão. A certificação de vacinação antirrábica é exigida para animais com mais de 3 meses de idade, sendo aplicada entre 30 dias e 1 ano antes do embarque.

Filhotes com menos de 3 meses de vida, e que ainda não tomaram a primeira vacina, só embarcam com autorização expressa do veterinário.

O animal deve estar com as vacinas em dia e ter o Atestado de Saúde para viajar

Laudo de sorologia

Este é um dos documentos que mais demanda tempo e planejamento de quem quer viajar com animais de estimação. Esta documentação é essencial para levar seu pet para a Europa e, neste caso, uma amostra de sangue é enviada para análise de um laboratório credenciado pela União Europeia (UE) no Brasil ou para outro laboratório igualmente credenciado pela Comunidade Europeia no exterior.

Mas atenção: a coleta do sangue do animal deve ser feita 90 dias antes do embarque. Assim, a entrega do laudo é garantida sem atrasos.

Passaporte

O Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos é um documento emitido pelo Ministério da Agricultura e substitui a Carteira de Vacinação do seu pet.

Ele é aceito em todo o território nacional e em alguns países. Nesse caso, é importante saber se seu destino aceita o documento ou se, de fato, será necessário levar a Carteira de Vacinação. Saiba mais nesse link.

Para se informar melhor sobre quais documentos são exigidos no país que você vai visitar, não deixe de acessar o site do Ministério da Agricultura.

Microchip/tatuagem

O microchip é implantado sob a pele do animal e possui um código alfanumérico de identificação, funcionando como uma espécie de RG do seu pet. A alternativa ao microchip é uma tatuagem com as mesmas informações, normalmente localizada atrás da orelha do pet.

Após a microchipagem ou tatuagem do animal, você recebe uma etiqueta que deve ser apresentada no momento do check-in.

O Porão: viajando no compartimento de carga

Pensar no seu filho de quatro patas viajando sozinho, junto com as malas, dá aquele aperto no coração. Mas as companhias aéreas estão cada vez mais preparadas e atentas para esses casos. Se o seu pet exceder o limite de peso para viajar na cabine e tiver que viajar no porão, tenha certeza de que ele vai ser bem tratado. O compartimento é despressurizado e iluminado assim como a cabine. O animal é sempre colocado por último e tirado primeiro. No desembarque, ele é entregue pelas mãos de um funcionário, e não pela esteira de bagagens como muitos imaginam.

Desembarque de animais que viajaram no compartimento de carga

O bom desse meio é que existe a possibilidade da caixinha de transporte ser maior, o que proporciona mais conforto ao seu animalzinho. Além disso, se ele for muito ansioso, não terá a agitação da cabine com o falatório, cheiro de comida e todas as outras coisas. Na caixinha, pode-se colocar água e até comida. Também é indicado colocar um pedaço de pano com o cheiro do dono para ele ficar ainda mais calmo. Os funcionários são sempre alertados quando existe passageiro de quatro patas a bordo, de modo que se acontecer algum atraso, eles devem se responsabilizar por dar água e até comida ao animal.

Identificar a caixinha e a coleira do seu bichinho com telefones, endereços e informações básicas também deixa a experiência mais segura.

Viajando na cabine

Cada companhia impõe uma restrição diferente no peso do animal para que ele possa viajar na cabine. Para viajar de avião com o bichinho sem qualquer imprevisto, as companhias exigem que o kennel tenha medidas específicas. Ela deve caber embaixo da poltrona da frente, sob seus pés. Essa caixinha deve permitir que o animal fique de pé e consiga dar uma volta em torno de si. Deve ter circulação de ar e ser forrada com aqueles tapetinhos higiênicos.

A caixa de transporte do animal deve caber embaixo da poltrona da frente

O bichinho tem que ficar o tempo todo dentro da caixinha, não pode sair para dar uma voltinha. É proibido levar animal no colo ou na poltrona do lado. Fora isso, exige-se que o animal esteja com a higiene em dia, unhas cortadas e de banho tomado, para a boa convivência de todos os passageiros.

Vale ressaltar que, apesar de algumas companhias restringirem certas raças para os voos, você, como dono, deve ter a sensibilidade de perceber se é realmente uma boa viajar com o seu cachorrinho no avião. Se ele é muito agitado, costuma latir ou uivar demais, talvez seja melhor levá-lo no compartimento de carga, para o bem dele, para o seu bem e para o bem dos demais passageiros.

Saiba dos seus direitos quando há atraso de voo

Dicas importantes

Burocracias à parte, é necessário também pensar em outra questão tão essencial quanto a documentação: o bem-estar do seu pet.

Você sabe dos seus direitos como consumidor?

É preciso lembrar que, por mais que estejamos acostumados a viajar, o animalzinho não tem noção do que sejam filas, check-in, aeroportos e aeronaves. Todas essas novidades podem agitá-lo de forma a comprometer, inclusive, a saúde.

Por isso, fique de olho em algumas dicas para o correto transporte de animais de estimação, para garantir uma viagem com 100% de sucesso e conforto para você e seu filhote.

Habitue o animal com antecedência à caixa transportadora

Seja na cabine ou no porão, seu bichinho vai ficar um bom tempo preso dentro de uma caixinha de transporte. Se ele não está acostumado com isso, seu trabalho começa bem antes do dia da viagem. Faça com que o animal vá se acostumando a entrar na caixinha, coloque brinquedos ou petiscos lá dentro. Comece a fazer com que ele, aos poucos, faça alguma refeição dentro do kennel.

Caixa de transporte do tipo "kennel"

Quando ele já estiver mais habituado, feche a porta por um curto período e vá aumentando com o tempo, sempre atento para ver se o cãozinho está calmo, se ele estiver agitado você estará criando uma reação contrária à necessária.

Assim como existem os que amam um passeio, há aqueles bichinhos que têm pânico da caixinha de transporte. Por isso, alguns meses antes, faça exercícios de ambientação com seu pet para que ele se sinta cada vez mais confortável lá dentro. Afinal, é ali que ele vai passar todas as horas de voo.

Coloque identificação do animal na coleira e na caixa transportadora

Coloque uma etiqueta de identificação com os seus dados na caixa transportadora do seu bichinho para evitar possíveis enganos e confusões. Na coleira do seu pet, coloque o seu nome e o telefone de contato.

Higienização da caixinha

Para garantir o bem-estar do seu pet e de todos os passageiros do voo, não se esqueça de embarcar com uma caixinha limpa e esterilizada. Isso evita, inclusive, um possível impedimento na hora do embarque.

Deixe um objeto do dono dentro da caixa

Se o seu bichinho for transportado no compartimento de carga, ele vai ficar solitário durante toda a viagem. Por isso, para que ele não fique muito agitado, é recomendado colocar um objeto ou até mesmo uma roupa com o cheiro do dono dentro da caixinha do animal.

Chegue com antecedência no aeroporto

Normalmente, as companhias recomendam que os viajantes cheguem no aeroporto com antecedência mínima de 1 hora para voos nacionais e 2 para voos internacionais.

Mas se você vai viajar de avião com cachorro, chegue no aeroporto com antecedência mínima de 2 horas, para fazer o check-in do seu pet.

Com esse tempo de antecedência maior, ele também terá a chance de se ambientar ao aeroporto e com a quantidade de pessoas, principalmente se ele for na cabine com você.

Chegue com antecedência no aeroporto

Antes do embarque

Ofereça alimentos leves no dia da viagem. A última refeição deve ocorrer 2-3 horas antes do embarque para evitar enjoos. Água pode e deve ser oferecida à vontade, inclusive no aeroporto, logo antes do embarque.

Leve a coleira e passeie com seu cão um pouco antes do voo. Incentive ele a urinar/defecar. Dê água. Evite embarcar com muita antecipação, a menos que o animal não se mostre tranquilo no ambiente do aeroporto. Brinque e ofereça carinho a ele. Vai ajudá-lo a relaxar.

Tudo pronto?

A burocracia é grande e mesmo assim ela varia muito. Se você for fazer escalas ou trocar de companhia aérea, essas regras mudam durante a mesma viagem! Veja tudo com muito tempo de antecedência para cuidar dos preparativos com calma e não encontrar imprevistos no caminho. Depois é só arrumar as malas e viajar de avião com seu melhor amigo!

Seja indenizado clicando aqui

Aconteceu algum imprevisto no voo?

O passeio não foi como esperado? Houve problemas no voo? Lembre-se que mala não tem coleira, ela corre o risco de ser extraviada. Mas fique calmo que nós te ajudamos!

Teve a mala extraviada? Aprenda o que fazer quando isso acontece

A LiberFly auxilia clientes que tiveram problemas com voos atrasados, cancelados ou superlotados nos últimos cinco anos. Lidamos, também, com problemas de malas extraviadas ou danificadas. Por meio de um formulário que comprove o contratempo, garantimos a agilidade e a resolução do impasse. A empresa atua como uma mediadora entre o cliente e a companhia aérea, de forma direta, sem burocracia.

Dessa forma, a negociação é 80% mais rápida do que um processo comum, e a LiberFly busca sempre a melhor compensação para o cliente. E o melhor: a consultoria é gratuita e só há pagamento caso haja êxito na resolução do problema.