A mulher grávida pode viajar de avião, mas isso não vale para qualquer fase da gestação. Nos meses que antecedem o parto, pode haver riscos para a gestante e para o bebê se ela embarcar.

Já para viagem com recém-nascidos, eles podem voar após 7 dias de vida. Isso vale para a maioria das companhias aéreas.

Você está planejando uma viagem durante a gestação ou com o recém-nascido? Para entender melhor como são os procedimentos, acompanhe a leitura!

Recém-nascidos podem voar após 7 dias de vida.

Grávida pode viajar de avião?

Grande parte das empresas permitidas que grávidas viajem de avião apenas antes dos 7 meses. Ou seja, para viajar após esse período, é preciso informar médica.

Esse controle é feito para impedir que aconteçam partos imprevistos durante o voo. Então, você deve pesquisar na sua companhia aérea como a política nesse sentido.

Uma dúvida comum é se a mulher grávida pode viajar de avião nas primeiras semanas. Para esclarecer, não há impedimentos nessa situação.

Mas, antes da viagem, é recomendado que um gestante consulte um médico para saber se não há riscos.

Veja abaixo como é o procedimento em uma dessas empresas.

Viagem aérea na gravidez: Latam

Até quando uma grávida pode viajar de avião? Na Latam, grávidas podem viajar sem restrições até 29ª semana de gestação. Isso se não houver nenhuma condição médica especial.

Depois da 30ª semana, é necessário atestado médico. Ele deve ser apresentado no balcão do aeroporto. Além disso, é preciso pedir permissão ao setor médico da companhia.

Para gestação única, da 30ª à 35ª semana, a gestante precisa apresentar atestado médico no aeroporto. Da 36ª à 38ª semana, ela deve apresentar o atestado para a área médica da empresa.

No caso de gestação múltipla, da 30ª à 31ª semana, a mulher grávida pode viajar de avião também. Nesse caso, ela deve apresentar um atestado médico no aeroporto. Já a partir da 32ª até a 38ª semana, ela deve enviar o atestado para o setor médico da companhia.

Após a 39ª semana, a gestante não pode fazer viagens aéreas pela Latam.

Atestado médico

O atestado médico deve ter o prazo de 10 dias de antecedência à data do voo. Ainda, ele precisa conter alguns requisitos:

-> O médico precisa ser especialista em ginecologia obstetrícia.

-> Informações sobre a origem e o destino da sua viagem.

-> Datas de saída e chegada dos voos.

-> A semana de gestação.

-> Consentimento expresso do seu médico.

-> Autorização do setor médico da Latam.

Para obter permissão médica da Latam, o atestado deve ser enviado por Formulário de Contato . Esse envio precisa ocorrer com 48 horas de antecedência do voo.

Atendimento especial

Se a grávida pode viajar de avião, ou seja, atende aos requisitos de tempo de gestação, há também condições especiais. Se ela precisar de algum atendimento especial, é possível avisar a companhia com antecedência.

Como gestantes podem embarcar com prioridade tanto em voos nacionais quanto internacionais. Além disso, têm o direito de receber a passagem antes dos outros passageiros em quaisquer voos.

Elas também podem ter acesso a um balcão de serviços para fazer o check-in e para obter outras informações.

Mulher grávida pode viajar de avião em voos internacionais?

Nos Estados Unidos, a maior parte das companhias aéreas permite que mulheres grávidas embarquem antes da 36ª semana. Porém, há voos que proíbem a viagem depois da 28ª semana.

Ou seja, cada empresa aérea pode ter uma política diferente conforme do país. A Delta Airlines não apresenta restrições para viagens na gravidez, nem exige atestado médico. A Air China também não exige atestado.

Na British Airways, mulheres de gestação única não podem viajar após a 36ª semana. Mas, se a gestação para de gêmeos ou múltipla, ela não pode voar após a 32ª semana. O atestado é recomendado, mas não é obrigatório.

O mesmo valor para uma Air China. Se a gestação única para até 36º mês, a mulher grávida pode viajar de avião. Se por uma gestação múltipla e estiver a quatro semanas do parto, não será possível voar.

Dicas para viajar de avião na gravidez

Você está planejando viajar durante a gestação? Veja a seguir algumas dicas:

-> Não faça refeições pesadas antes de embarcar. Prefira uma alimentação leve no dia do voo.

-> Escolha vestimentas confortáveis.

-> Opte por um assento ao lado do corredor. Isso porque as mulheres grávidas costumam ir com mais frequência ao banheiro.

-> Prefira assentos da frente, para sentir menos a movimentação da aeronave.

-> Beba bastante água.

-> Não fique sentada o tempo todo na viagem. Ante um pouco pela cabine.

-> Coma frutas durante o voo.

-> Leve remédios para enjoo.

-> Use meias de compressão.

-> Fique descalça na cabine, para evitar incômodos se seus pés e pernas feitas inchados.

-> Alongue-se de vez em quando durante uma viagem.

Viajar com recém-nascido de avião

Vimos que, em geral, uma mulher grávida pode viajar de avião. Mas como mães podem viajar com bebês recém-nascidos? Quando o bebê pode viajar?

A resposta é sim. A idade permitida para bebês viajarem de avião é de 7 dias de vida, para a maior parte das empresas aéreas.

Porém, muitos pediatras aconselham que os bebês completem 3 meses de vida antes de embarcarem em um voo.

Entre os motivos, está a baixa imunidade do bebê para permanecer em um ambiente fechado. Antes dos três meses, ele ainda não tomava todas as vacinas que precisa para se proteger.

Além disso, no pós-parto a mãe deve evitar fazer viagens. Isso porque ela está em processo de recuperação. Ou seja, se for realmente necessário, consulte um médico antes.

Documentos exigidos para viajar com o recém-nascido

Caso o nascido recém-nascido preciso mesmo embarcar, ele seja de documentos como quaisquer outros viajantes.

Como exemplos, podemos destacar a carteira de identidade ou a certidão de nascimento.

No caso de viagem para o exterior, é preciso ter o passaporte válido e o visto (se for necessário).

O recém-nascido precisa pagar para voar?

Sabe-se que uma mulher grávida pode viajar de avião e, claro, não precisa pagar tarifa extra para o bebê que não nasceu ainda.

No caso de recém-nascidos, em voos nacionais, bebês com até dois anos podem embarcar sem pagar passagem. É preciso apenas avisar a empresa aérea.

Já se você quiser reservar uma cadeirinha para o bebê, precisa pagar uma tarifa.

Nenhum caso de voos internacionais, a situação é diferente. Se os bebês de até 2 anos viajarem no colo, precisar pagar entre 10 e 15% da tarifa do adulto. Inclusive a taxa de embarque.

Para reservar assento para o bebê em voo internacional, é preciso pagar o valor total do bilhete aéreo. Algumas empresas oferecem descontos em casos.

Ainda, o bebê pode viajar para o exterior com ambos os pais ou um responsável. Se apenas um dos pais estiver presente, é preciso que o outro reconheça firma em cartório.

O bebê também pode viajar com um adulto responsável, desde que os pais autorizem em cartório.

Em voos nacionais, o bebê precisa sempre estar acompanhado de um adulto. Isso é válido, por exemplo, para a Latam, a Gol e a Azul.

Leia também: O que você precisa saber para seus filhos viajarem sozinhos

Bagagem de avião para bebês

O direito à bagagem para bebê em voos depende das políticas de cada empresa aérea. Em companhias internacionais, em geral eles podem levar bagagem se adquirirem passagem aérea e associados.

No Brasil, a Latam permite a crianças, entre 0 e 23 meses que viajam com tarifa infantil, levar apenas um item na cabine.

Esse item pode ser, por exemplo, um carrinho de bebê desmontável, um berço portátil ou uma cadeirinha de carro certificada.

Se não couber na cabine, é possível levar na mala despachada sem custo extra.

Portanto, a tarifa infantil não costuma incluir bagagem .

É possível adquirir uma passagem se o bebê não tiver nascido ainda?

Sabemos que uma mulher grávida pode viajar de avião. Mas e se ela comprou uma passagem quando estava gestante e na data da viagem o bebê já terá nascido?

No caso de os pais decidirem comprar o bilhete aéreo com antecedência, é permitido sim adquirir a passagem para o bebê.

Os recém-nascidos até os 2 anos não pagam para viajar em voos nacionais. Então, você não terá que se preocupar em pagar taxas adicionais.

É preciso apenas informar a empresa aérea para que o bebê seja adicionado à passagem.

Para voos internacionais, isso também é possível e será necessário comprar a passagem. Ainda, se você não tiver escolhido o nome do recém-nascido, pode usar “bebê” e o sobrenome dos pais.

Imprevistos que podem ocorrer ao adquirir passagem

A mulher grávida pode viajar de avião em voos nacionais e internacionais. Algumas companhias internacionais não acordadas atestado após o sétimo mês. Porém, é recomendado ter o atestado para embarcar como forma de precaução casos.

Outra questão é quanto às recém-nascidos. Se o bebê na ida tem menos de 2 anos, não precisa pagar passagem em voos nacionais. Mas, se na volta ele já tiver completado 2 anos, comprar passagem.

Por fim, sobre a alimentação do bebê no avião, eles podem levar água, comida e leite. Ha restrições Líquidos Pará , que devem EM recebimentos de 100 ml Durante VOOS.

Mas essa regra não se aplica aos bebês. A quantidade deve ser necessária para o voo.

Conseguiu tirar suas dúvidas sobre viagens aéreas durante a gravidez ou com recém-nascidos? Deixe abaixo seu comentário!

Se você teve problemas com companhias aéreas nos últimos cinco anos, entre em contato com o Liberfly!