É muito comum viajantes levarem remédios em voos, seja para situações de pouca gravidade, seja para doenças crônicas. Por essa razão, é de fundamental importância conhecer as regras para o embarque desses itens.

Portanto, se você tem dúvidas sobre como levar medicamentos em viagens internacionais, não se preocupe, pois nem sempre as informações sobre o assunto são precisas, especialmente no caso de itens controlados ou tarja preta, o que pode causar uma certa confusão nos viajantes.

Por isso, no texto abaixo, você aprenderá como levar remédios em viagens internacionais. Continue a leitura e saiba o que fazer na sua próxima viagem!

Seja indenizado clicando aqui

Dúvidas sobre o embarque de medicamentos em viagens internacionais

As normas podem variar de acordo com o tipo de medicação, a quantidade e o país de destino. Itens básicos, que podem ser comprados sem indicação médica, geralmente, são mais simples de transportar.

Já para medicamentos de uso restrito, é necessário seguir algumas recomendações. Veja abaixo as principais dúvidas sobre o assunto!

Como funcionam as regras gerais para levar medicamentos em viagens ao exterior?

Os medicamentos que não precisam de receitas podem ser transportados na mala de mão de forma simples. Contudo, procure confirmar se não há restrição desses elementos no destino para não ter complicações no desembarque e no momento da volta.

Você sabe dos seus direitos como consumidor?

Os itens líquidos devem respeitar as regras de bagagem para voos internacionais, ou seja, precisam ter no máximo 100 ml por frasco e não podem ultrapassar 1 litro. Isso também é válido para xaropes e outros medicamentos. Além disso, eles devem ser acomodados em uma embalagem plástica.

Como transportar medicamentos para doenças crônicas?

Essa é uma dúvida comum sobre como levar medicamentos em viagens internacionais, já que pessoas que fazem uso de medicação contínua e controlada não podem ficar sem eles.

Nesse caso, leve um laudo médico que justifique o uso do remédio e a prescrição com a dosagem e o nome genérico dele. Ter os documentos traduzidos e a nota fiscal do produto também será positivo, assim você evita qualquer complicação com as normas dos outros países.

O que é overbooking e o que fazer caso aconteça?

Passageiros que precisam embarcar com insulina, medicamentos injetáveis e outros líquidos podem acomodá-los na mala de mão, inclusive, em quantidade maior que 100 ml, desde que estejam com a prescrição médica indicando a quantidade necessária para a utilização durante a viagem.

No caso dos medicamentos injetáveis, a agulha deve estar em embalagem lacrada e ser apresentada junto com a receita durante os procedimentos de segurança do aeroporto.

Qual a quantidade permitida?

A recomendação é levar somente a quantidade necessária para a duração da viagem, com uma pequena sobra caso haja algum imprevisto. Outra dica é conferir as regras do destino — normalmente a quantidade não pode ultrapassar um período de 90 dias de estadia.

É necessário apresentar receita médica?

Como já mencionado, em caso de medicamentos de uso geral, que não precisam de prescrição, a receita médica não é obrigatória. Diante disso, é comum que os viajantes preparem um kit farmácia com itens para uso no dia a dia, como analgésico, antitérmico, anti-inflamatório, remédio para enjoo e anticoncepcional.

Saiba como escolher a mala ideal para sua viagem

A atitude é positiva para se precaver em caso de imprevisto ou incômodos simples, pois alguns países podem solicitar a receita médica para esses medicamentos. Entretanto, é importante utilizar os remédios apenas com indicação. Por isso, consulte um profissional de saúde antes da viagem.

No caso de medicamentos controlados e de tarja preta será necessário estar de posse da prescrição médica.

É possível comprar o remédio no país de destino e levar para outro? Nesse caso, a receita precisa ser traduzida?

Para conseguir comprar o remédio em outro país o viajante precisará passar por uma consulta no local, tendo que arcar com os custos dela já que normalmente essa situação não está inclusa no seguro viagem.

Em caso de medicamento controlado é recomendado levar a quantidade adequada ao período da viagem, porque a prescrição médica brasileira pode não ter validade no exterior, mesmo que esteja traduzida.

O mesmo vale para medicamentos de uso geral?

Alguns países têm o controle mais rígido que o Brasil para remédios de uso diário. Sendo assim, eles podem solicitar a prescrição médica mesmo para substâncias simples como analgésico e antigripais. Por isso, a dica é levar esses itens com você para se precaver em caso de incômodos.

Remédios controlados com tarja preta seguem as mesmas regras?

Outra dúvida comum sobre como levar medicamento em viagem internacional é quanto aos remédios de tarja preta ou vermelha.

Eles seguem as mesmas regras dos remédios controlados e é essencial que o passageiro esteja acompanhado da prescrição médica. Outra recomendação é que o documento esteja traduzido para o inglês e que apresente a dosagem e as condições de uso.

A indicação do CID (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde) também é positiva, visto que esse é um código reconhecido internacionalmente.

Posso levar remédios para uma terceira pessoa?

Os medicamentos controlados devem ter prescrição médica em nome do passageiro. Em caso de remédios de uso geral para uma viagem em família com crianças, por exemplo, é possível acomodar os itens na mala de mão dos pais.

No entanto, a quantidade deve ser compatível para uso pessoal ou de terceiro para que não seja considerado uso comercial.

E nas viagens nacionais?

De acordo com as informações da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) não há restrições para o embarque de medicamentos na mala de mão em voos domésticos, com exceção de aerossóis para uso médico. Nesse caso, há um limite de quatro frascos por pessoa em embalagem inferior a 300 ml.

Guia completo dos direitos dos passageiros de avião

Além disso, é aconselhável ter a prescrição médica para substâncias controladas, caso seja solicitada no aeroporto ou haja a necessidade de adquirir o remédio no destino.

Como levar remédios em viagem internacional

Agora que você já sabe as principais regras sobre o assunto, chegou o momento de ver algumas dicas práticas para levar remédios em uma viagem internacional.

  • acomode os medicamentos na mala de mão para não ficar sem eles caso tenha a bagagem seja extraviada;
  • se for necessário manter os medicamentos em refrigeração, entre em contato com a companhia aérea antecipadamente para verificar essa possibilidade.

Essas são as principais dicas e dúvidas sobre como levar remédios em viagem internacional. Esperamos que a artigo seja útil e ajude você nessa missão! Contudo, não deixe de conferir as regras do destino e da companhia aérea em relação ao transporte de medicamentos.

Você sabe o que é uma lawtech? Entenda mais sobre esse tipo de startup!

Se você gostou do texto e quer receber outras dicas sobre viagem, siga a LiberFly no Instagram para conferir novos conteúdos.

Seja indenizado clicando aqui